A história é sempre a mesma na maioria dos casos. Você tem uma idéia de viagem, vê o que mais lhe agrada, monta seu roteiro e sai feliz da vida para contar para seus amigos e parentes mais próximo.

O êxtase que você está contagia todo mundo e uma grande turma vai te acompanhar. No dia seguinte, já começam as primeiras mudanças na viagem para adaptar ao gosto de todos seus novos companheiros de viagem. Um quer mudar o hotel, outro a companhia aérea, outro os passeios e assim você cede um pouquinho para cada um, afinal, você vai com sua turma e é diversão na certa.

Tempos depois, na maioria das vezes quando chega o dia de fazer a reserva da passagem aérea, o barco literalmente começa a afundar quando você pega a listinha de amigos que vão te acompanhar e anuncia. Comprei a passagem, entra lá e compra a sua!


A chuva de desculpas começa. As mais comuns são a de que não conseguiu folga com o chefe, houve uma despesa não computada, aniversário importantíssimo da tia da vizinha que ele não pode faltar e dentre outros tantos que no final das contas, lá esta você, sozinho na sua viagem e com ela toda modificada do plano original.

O que fazer?

Tocar o barco sozinho ou cancelar a viagem para entrar novamente no mesmo ciclo?

Por três anos esta situação aconteceu comigo até que um dia, resolvi fazer um plano B. Montei minha viagem e deixei ela lá quietinha sem modificar. Falei com os amigos, modifiquei do jeito que eles queriam e na hora que eles pularam fora, eu estava lá com minha viagem inicial salva e seguindo ela. Conclusão: A primeira vez que saí do País, rumo a Machu Picchu fui sozinho, sem saber falar outro idioma que não o português, mas voltei recarregado com boas energias e com a certeza de que viajar sozinho é realmente muito diferente, mas vale a pena por vários motivos.

Viajando sozinho você sente as vezes solidão, principalmente quando você se depara com grupos de amigos rindo e se divertindo e você esta lá tentando se comunicar e fazer novas amizades que não serão tão intimas quanto seus amigos do dia a dia, porém, a vantagem é a troca de conhecimento e cultura além do fato que não haverá D.R. em momento algum de sua viagem.

Com a certeza de que está sozinho, você vive mais a viagem, pois sabe que tem que cuidar das suas coisas se não quiser ficar sem, que você tem que se virar para cumprir horários, para vivenciar passeios e roteiros e mais uma série de motivos que te deixarão muito melhor no seu retorno.

Não tenha medo, mas tenha precaução, saiba que sozinho, se você passar mal, não terá ninguém para te socorrer, então numero de emergência, seguro assistencial e um plano rápido de retorno devem estar em evidência, se você adoecer, não hesite em voltar pra casa o quanto antes. Também é necessário a preocupação com segurança, em roubos e outros quesitos, por será só você e você. Ande junto com todos, não se arrisque em pontos mortos ou zonas perigosas e tenha certeza que será a melhor experiência de sua vida.

Quanto ao que achei de viajar sozinho? Minha próxima viagem já esta programada, o local e o que vou fazer, meus amigos só vão saber depois que eu voltar, porque agora, viajo sozinho e se quiserem seguir meu roteiro são bem vindos, caso não queiram, eu mostro as fotos e filmagens depois!


Viaje e seja feliz, não deixe que nada atrapalhe, afinal, no futuro, as lembranças de suas viagens serão somente o que vão restar de boas lembranças do que você fez com o dinheiro que ganhou durante a vida.


Enjoy It!

Sobre o Autor

Editor Curta Viajar
Editor Curta Viajar
Alguém que está sempre querendo conhecer uma parte do mundo

Novidades em primeira mão

Receba as novidades no seu e-mail

  • Booking.com