Para você que gosta de viajar, o Peru é sem dúvida um dos destinos mais fascinantes para se conhecer na América do Sul. Uma viagem que com certeza será inesquecível e o melhor, um excelente custo benefício, visto que hospedagem, alimentação e transporte é muito barato por lá.

A briga das companhias aéreas por destinos internacionais é maior que os nacionais e você pode ficar de olho e comprar passagens rumo à Cuzco (uma cidade peruana) até mesmo pela metade do preço (em junho de 2013, por pouco mais de R$ 700,00).

É mais prático comprar os tickets para Machu Picchu (entrada no parque) com Huayna Picchu (topo da montanha) as 10hs, as passagens de trem e reservas de hotel pela internet, imprima e leve tudo. Também leve dólares e um cartão internacional de débito, outras modalidades também são indicadas, mas esta é a mais viável atualmente. Lá você pode sacar em caixas eletrônicos (paga taxa por saque de aproximadamente R$ 12,00) ou trocar dólares por soles numa cotação boa. Cuidado com o cartão de crédito, mesmo que você peça para passar no débito, raramente isso acontece e ele acaba entrando como crédito e cobrando IOF de compra no exterior.

O vôo saindo de Guarulhos faz escala em Lima, capital peruana e depois parte para Cuzco. A cidade em sí já é uma atração a parte com diversos locais históricos, igrejas, apresentações nas ruas e em questão de minutos você se mistura a população local e consegue curtir a cidade como se fosse um deles.

Reserve o primeiro dia para adaptação e conhecimento do local, é bem econômico comprar um chip de celular da Claro ou Movistar, assim você fica com conexão 3G e com internet dá para se virar bem melhor. O custo é pouco mais de 20 soles com direito ao mesmo valor em créditos, muito mais barato do que habilitar seu celular no Brasil para uso no exterior.

Uma dica bastante legal, é contratar um taxi turístico para o segundo dia, por um valor aproximado de 250 soles por carro e que pode ser dividido entre 2 turistas. Com esta opção você terá um guia exclusivo que te levará em locais que o ônibus turístico ou os pontos tradicionais não mencionam. Com o taxi também é possível parar para fotografar em paisagens de tirar o fôlego e no caminho ele vai sugerindo locais alternativos, além é claro de você ficar mais tempo nos locais que mais gostar e sair rapidinho dos que não te agradarem.
 Procure antes pela internet e mande email combinando, lá são muito disputados esta modalidade e tem alguns que são clandestinos e estes não é bom contratar apesar de serem mais barato, o risco não compensa.
 Lembre-se que no Peru, eles gostam de negociar, então, nunca aceite o preço de inicio, sempre ofereça menos um pouco, por incrível que pareça eles gostam pois fazem parte da cultura deles.

A visita começa no meio da população típica com direito a tomar o chá famoso do Peru, ver como são produzidos artesanatos e pinturas, participar da produção e se vestir como um nativo peruano é só o inicio da viagem. Ao redor de Cuzco existem mais de 20 ruínas e locais sagrados dos Incas onde você vai parando para fotos, conhecendo a história e ver a intrigante engenharia dos Incas que levavam água a qualquer ponto de suas estruturas.

Visite todos os locais e combine com o taxista para por volta das 15hs te deixar em Ollaytambo, uma cidadezinha que tem as ruinas mais interessantes de todos os arredores de Cuzco, o ponto também é estratégico, pois é de lá que parte o trem pela Peru Rail para Águas Calientes, a cidadela que fica ao pé de Machu Picchu.

Compre a passagem com embarque para as 21hs, jante em Ollantaytambo, compre bolachas, doces, petiscos e água para levar, você chegará em Águas Calientes por volta das 23hs, tome um banho rápido e dê uma descansada, as 4hs da manhã começa sua caminhada rumo a Machu Picchu no seu terceiro dia de aventura pelo Peru.

Separe uma mochila com a água e alimentos que comprou, como é de madrugada nada estará aberto na cidadezinha e lá na entrada do parque tudo é muito caro além de você perder tempo. Com a mochila arrumada saia para pegar os primeiros ônibus que levam ao topo da montanha, o ticket de ônibus custa US$ 50,00 de ida e volta e os primeiros saem as 5 da manha, mas neste horário a fila já é quilométrica e é necessário ir ao guichê comprar as passagens. Leve o dinheiro trocado pois quase nunca eles tem troco e ou você deixa o troco lá e corre para pegar o ônibus ou aguarda algum turista. O percurso de ônibus demora em média 25 minutos rumo montanha acima e te deixa na entrada do parque nacional de Machu Picchu. Se você consegui sair pouco mais das 5 da manhã, vai chegar no parque com o dia amanhecendo. Apresente os tickets e não esqueça de levar seu passaporte para ser carimbado, é uma marca para sua vida!

Após a entrada, logo nos primeiros degraus você já vai vendo as cenas de onde foram batidas cada uma das fotos de Machu Picchu que você vê na internet e tv, e várias centenas de degraus te esperam para você ir ganhando cada espaço e conhecendo cada ponto. Dá para conhecer tudo sozinho se você levar um dos muitos livros que tem o mapa da cidade e o que é cada ponto, há os que preferem explorar tudo sozinho e escutar algumas explicações de guias e grupos, porém, se você quiser conhecer tudo de Machu Picchu, o ideal é contratar um guia e entrar no grupo, o custo varia de 15 a 25 soles.  Se você comprou a subida para Huayna Picchu, esqueça o guia, você não vai aproveitar quase nada e compensa explorar todo o local sozinho depois que descer da grande montanha.

Explore um pouco as ruínas, vá aos locais sagrados, às cabanas e depois parta para a entrada de Huayna Picchu. É fácil se localizar, na foto clássica, há duas montanhas sempre ao fundo, uma menor e outra maior, Huayna Picchu é a maior e a trilha cheia de degraus de pedra e passagens que as vezes é necessário se agarrar a cordas leva ao topo dela. Após uma hora ou até duas de subida você atinge o topo da montanha e a sensação é indescritível. Do alto, você pode ver Machu Picchu de outro ângulo e minúscula lá em baixo, também é possível olhar todo o vale. Reserve de quarenta minutos a uma hora para sentar e desfrutar o local, é uma ótima pedida para reflexão e dizem que ali é o marco divisório que transforma vidas, não deixe de estender seus braços bem na pedra da foto (a mais famosa que todos sentam para fotografar) e pensar ou gritar: “Vim, vi e venci!”.

A descida é fascinante também e no meio há vários pontos de observação que eram utilizados pelos Incas para controle e guarda. Após seu retorno à cidade de pedra, explore o local bem, tire fotos com as Ilhamas e desfrute o momento. Fique na cidade até por volta das 15hs, pegue o ônibus para descer e depois o trem das 17hs, serão 4 horas de retorno até Cuzco. Aproveite para descansar e recompor o sono e não se preocupe, a parada final do trem eles avisam todos os passageiros e você não corre o risco de dormir e ir parar em outro local que não seja Cuzco.

As 21hs você chega em Cuzco, vá direto para o hotel, tome um banho relaxante, alimente-se bem, afinal você ficou o dia todo a base de muita água e bolacha e aproveite para dormir, você ainda tem mais 2 dias pela frente.

No quarto dia, você pode optar por um city tour em ônibus e dar uma de turista mesmo andando nos famosos ônibus vermelho de dois andares e bater muitas fotos ou contratar novamente o taxi turístico e conhecer outros detalhes e locais ao redor de Cuzco. Pare para almoçar em um local típico, a comida tradicional o Hui (pronuncia-se Kui) é a mais famosa, é o porquinho da índia inteiro assado e bem crocante, ou pedir carne de Ilhama ou Alpacas. Há também bife para os mais tradicionais, porém, não é muito consumido por lá.

Não deixe de tomar uma cerveja local e a Inka Cola, o refrigerente nacional do Peru. Geralmente todas as cidades do Peru tem uma cervejaria local, em Cuzco, a mais famosa é a Cuzquena. Refrigerentes e cerveja são servidos quentes, pois a temperatura é propícia faz sempre um friozinho bem mais que os registrados por aqui. A noite o frio é cortante e prepare-se para agasalhar.

A noite, após os passeios, tome um banho, jante também uma comida típica (como estamos no final do quarto dia vale a pena abusar e arriscar se não se acostumar com a comida e ter a infelicidade de uma indigestão ou diarreia, você já curtiu quatro dias). Após o jantar, vá pra rua, a praça central de Cuzco é cheia de atrações, você pode entrar no meio das procissões religiosas e ver a fé do povo fervorosa e curtir um ambiente de festa popular bem tranquilo com o comércio aberto.

No quinto dia, reserve para as compras, há um centro de artesanato alguns quarteirões abaixo da praça central (Plaza de Armas) que tem tudo quanto é artefatos sobre o Peru e sua cultura. Prepare-se pois são centenas de barracas que mais lembram um camelódromo e tudo com preços bem bacanas. Não compre lembranças nos pontos turísticos, depois quando for ao mercado vai ver que lá custam a metade do preço. Meio dia por lá e você sairá carregado de sacolas de lembranças para você e para quem você precisa trazer lembranças.

Após as compras é hora de almoçar e arrumar as malas para vir embora, combine antes com taxi para te pegar no seu hotel e te levar no aeroporto, eles são bem pontuais e na hora marcada estarão te esperando.
Na volta, uma hora de viagem até Lima e depois mais cinco horas até Guarulhos te farão refletir em todas as experiências vivias em um país encantador que é simples, não vive de luxos e tem uma população feliz, fiel à Deus e que nunca perde a esperança de que algum dia, o Inca voltará para trazer mais prosperidade ao povo Peruano.

Programe-se:
Passagem aérea: Fique de olho nas promoções que geralmente são da TAM e da Avianca, saída de Guarulhos até Cuzco. Agende-se para a saída as 4 da manhã e retorno com saída de Cuzco as 14hs, assim o tempo de espera nos aeroporto é menor.

Hospedagem: Reserve tudo pela internet. Quanto a hospedagem não se preocupe muito, se você é solteiro, a dica é hospedar-se no Loki, é bem agitado na noite com festas todos os dias na área de convivência e se você não quiser participar, basta ir para seu quarto que não se ouve quase som. Há internet wi-fi grátis. Em Águas Calientes, reserve o mais simples, você vai ficar apenas 5 horas nele, é só para tomar um banho e descansar um pouco. Quando for para Águas Calientes, deixe suas malas no Loki no Locker, é super seguro e evita de você ficar carregando malas, lacre a mala com cadeado e cole a etiqueta com o número dela, guarde o seu comprovante senão você não retira ela mais.

Tickets: Compre Machu Picchu e Huayna Picchu juntos pelo site do governo peruano, eles só aceitam cartões Visa Internacional, atente-se para colocar os dados de quem vai subir a montanha corretamente, eles conferem lá os dados. Quanto ao cartão, fique tranquilo, eles só querem saber do comprovante de pagamento. Também compre as passagem pela Peru Rail (www.perurail.com) de ida as 21hs e retorno no outro dia as 17hs. Demais boletos de entrada, compre lá na hora, pois há sempre mudanças de planos e se você for de taxi turístico, eles sempre arrumam coisa melhor para você.

Alimentação: Beba muita água, apesar de ser muito frio, você vai andar muito, O Peru é cheio de montanhas e tudo sobre os Incas tem escadas gigantescas.
 Alimentação leve ajuda muito para não ter indisposição e não perder tempo.

Outras dicas:

- cuidado com notas e moedas falsas. Como é complicado reconhecer, olhe a data das moedas e não aceite se elas tem data de dois ou três anos.

- a população gosta muito de negociar, sempre pechinche o preço, estabelece uma relação legal com os peruanos e você economiza alguns trocados;
- A propina (uma espécie de gorjeta) é bem comum também, seja generoso e dê propina, como visto grande parte da população é pobre e ajudar nunca é demais.
- Se gostou da dica do taxi, ligue para Juan Carlos, +51 984-010319 ou email: JuanC_OTA@outlook.com.pe, com certeza sua viagem será outra se você gosta de sentir um cidadão local em suas viagens e não ficar sendo tratado sempre como turista.

- Leve uma mochila para andar sempre com você, deixe tudo que precisa lá, é mais prático. E não leve muita roupa, é frio, mas leve uma ou duas blusas de frio para a temperatura de 2 graus, muita blusa só faz volume e não faz muita diferença nestes casos.

- Não tenha receio de ir sozinho mesmo que fale somente o português, na pior das hipóteses, a língua dos sinais sempre é inteligível e o povo peruano é bem paciente com turistas.

Planeje, programe-se e curta viajar!
Enjoy!

Sobre o Autor

Editor Curta Viajar
Editor Curta Viajar
Alguém que está sempre querendo conhecer uma parte do mundo

Novidades em primeira mão

Receba as novidades no seu e-mail

  • Booking.com